A sanfona chora a partida de Dominguinhos, e o sertão perde a luz do candeeiro

Entre os dias,23 e 24 Pernambuco perdeu dois grandes ícones da sua cultura, a sanfona chorou com a partida de Dominguinhos , e a luz do candeeiro se apagou com a ida de Manuel Dantas  Loyola , deixando apenas na memoria a ser escrita daqui pra frente as lembranças de dois homens onde cada um com  sua historia , sua cultura e sua arte inevitavelmente serão para sempre lembrados  por suas representatividades  nas paginas  escritas de uma cultura sempre viva.    
 Em São Paulo, o  pernambucano natural de Garanhuns, Dominguinhos morreu na  nesta terça feira  aos 72 anos no Hospital Sírio Libanês  na capital Paulista. Instrumentistas, cantor, compositor , Dominguinhos em 2002 ganhou o Grammy Latino com o CD ‘Chegando de Mancinho, ao longo de sua carreira fez parcerias de  sucessos  com Gilberto Gil, Chico  Buarque, Anastácia, Djavan e se consagrou ao lado do eterno rei do baião Luiz Gonzaga o velho Lula.
Já em Arcoverde na madrugada desta terça-feira (24), no Hospital Memorial Arcoverde, o último cangaceiro do bando de Lampião , o buiquense Manuel Dantas Loyola, se Né aos 98 anos  faleceu de onde estava internado  na UTI desde da última segunda feira.

Sua historia com a historia do cangaço começou na manhã de 27 de julho de 1938 onde foi testemunha ocular da histórica batalha dos angicos  onde a volante comandada pelo tenente João Bezerra  matou  Lampião e Maria Bonita. Sobre esse dia Candeeiro assim como era chamado dizia que só conseguiu escapar por que tinha ido buscar água junto a outros cangaceiros. 
Tecnologia do Blogger.