Sobre uma nuvem negra, o comercio de Buique vive dias de preocupação

Buíque: Para se ter uma verdadeira noção do quadro negro que estar o comercio na capital das sete maravilhas não precisa ir muito longe, basta visitar o comércio local da pequena a grande loja a historia e sempre a mesma, não se vende nada e o pouco que se vende com o lucro não dar para pagar nem a metade dos impostos no que resulta uma demanda de desemprego que tende a crescer dia após dias.
Com exceção aos supermercados e varejistas  que vendem itens básicos para sobrevivência , a alimentação , outros comércios pagam um preço muito alto por que a população só estar comprando o que necessita pra sobreviver neste caso a comida.
Se no verão as desculpas era  seca, no inverno é a falta de dinheiro, numa cidade que não tem geração de empregos, a não ser os da prefeitura que por sinal são mais concorridos do que a mega sena, outro meio de ganhar dinheiro não há, daí fica difícil alguém comprar, um sapato,  ou uma roupa, e por  ai se vai  a crise que estar deixando  do grande ao médio comerciante de orelhas em pé.   

Numa cidade que chove dia e noite, e água nas torneiras não tem ,sendo  mesmo   com a chuva o comercio de vendas de água ainda persistir e sobrevive , na única casa lotérica que faz os pagamentos dos  benefícios do governo federal como bolsa família , cartão cidadão e outros mais, mal o dia amanhece a as filas já fazem zingue e zague  para quando o beneficiário chegar a boca do caixa não sacar seu dinheiro e lá se vai pra Arcoverde onde saca e lá mesmo deixa voltando para Buíque apenas  com a esperança de no mês seguinte realizar a mesma coisa, ou seja gastar o pouco que tem no comercio Arcoverdense e enquanto isso, Buíque e seu comercio fica a ver navio  com suas lojas vazias sem clientes e  com isso o desemprego vai aumentando consecutivamente .
Foto: Internet.
Tecnologia do Blogger.