Filho de proprietário do imóvel onde funciona o Conselho Tutelar, insatisfeito com a demora da desocupação do prédio, invade as dependências e sai quebrando e jogando moveis e objetos no meio da rua em Buique.

O desconforto para os conselheiros tutelares da cidade de Buíque no agreste do estado começou no inicio da manhã desta segunda feira, quando ao chegar para mais um dia de trabalho  foram surpreendidos com a interrupção de energia elétrica com o desligamento da chave geral  pelo filho do proprietário do prédio onde funciona o conselho.
Até agora, de acordo com as informações levantadas, já era visível a insatisfação por parte  do locatário no atraso do aluguel  que já tinha solicitado a desocupação do prédio alugado  ser o ponto oficial  para que os cinco conselheiros pudessem atender a demanda das ocorrências envolvendo crianças e adolescentes do Município.
Cientes da solicitação  e já prontos para desocupar o imóvel , por volta das 14:10 da tarde desta segunda feira(03), a única conselheira que se encontrava  nas dependências do conselho tutelar , Ana Couto em companhia da auxiliar administrativa  Quitéria foram surpreendidas pelo filho do proprietário  do imóvel que ordenou de imediato a desocupação do imóvel, sem entender nada e sem lhe dar nem uma resposta,a conselheira foi agredida verbalmente com palavras de baixo calão, não satisfeito com o silêncio da conselheira o agressor entrou dentro do conselho tutelar e começou a quebrar alguns móveis, isso enquanto quebrava arremessava para fora do prédio gerando um certo tumulto na rua Cleto Campelo atual endereço do conselho Tutelar em Buíque.

Passado o susto , já em companhia Do presidente do COMDICA Francisco Carlos e de  mais dois conselheiros, Jamesson Lucas(Dido)  e Werlles Padilha(Capitão) Ana Couto se dirigiu a delegacia  de policia  civil para prestar depoimentos. De acordo com a própria Ana Couto, por conhecer e considerar os genitores  do agressor, resolveu não formalizar um B.O contra o próprio , mas como os moveis quebrados e o telefone pertence a prefeitura municipal do Buíque, e estavam todos tombados, tudo indica que o filho do proprietário irá responder por danos ao patrimônio público  e enquadrado no art.  163 do Código Penal Brasileiro  com detenção  de um a seis meses , ou pagamento de multas o que tudo indica nesse caso.
Tecnologia do Blogger.