Vereadores de Arcoverde querem gastar dinheiro público para fazer curso de oratória

Três anos após serem eleitos, muitos deles já com alguns mandatos, vários vereadores de Arcoverde querem voltar à escola para aprender a falar. É que está circulando na Casa James Pacheco solicitações de alguns parlamentares para fazerem um curso de oratória no Recife, segundo denuncia a vereadora Célia Cardoso (sem partido), em sua página social na internet.


Ela faz um apelo ao presidente da Casa, vereador Miguel Leite de Siqueira, o Sargento Siqueira, para que não libere as diárias para os edis fazerem este curso de como falar em público. Na postagem, ela questiona se os arcoverdenses acham certo a Câmara de Vereadores de Arcoverde depositar R$ 1.480,00 (hum mil e quatrocentos e oitenta reais) nas contas de cada vereador inscrito para ele aprender a falar. Ou seja, aprender o que já deveria saber quando se candidatou ao cargo. Há menos de 30 dias os vereadores estiveram em um Congresso em Maceió, quando tiraram diárias a vontade. Não faltou gente que foi sem ter chegado. 
A depender do conhecimento de alguns parlamentares o curso por si só não faria muito milagre. Mas, ninguém é proibido de fazer um curso de oratória, desde que seja com seu próprio salário, afinal cada vereador de Arcoverde recebe cerca de R$ 8 mil mensais, e não com o dinheiro público. A vereadora sugere que, já que a Câmara está com dinheiro sobrando com diz o presidente, que devolva a prefeitura indicando uma obra aonde deva ser aplicado. 

O curso de oratória visa justamente preparar uma pessoa para enfrentar o público, falar corretamente, saber ter postura e ter um discurso coerente, fundamentado e capaz de “encantar” os ouvintes. É um investimento pessoal, para quem quer aprender realmente a falar, o que não seria mal para alguns parlamentares da Casa James Pacheco, desde que fosse com o dinheiro deles. 
Fonte: Folha das Cidades


Tecnologia do Blogger.