MP quer demissão de contratados em Arcoverde e fim de nepotismo cruzado

O Ministério Público do Estado de Pernambuco (M.P.PE) recomendou à prefeitura de Arcoverde, no Sertão, a demissão de 480 contratados temporários e a exoneração da sobrinha da prefeita e do filho do presidente da Câmara de Vereadores. O Termo de Ajustamento de Conduta (T.A.C) foi divulgado em 1º de dezembro no Diário Oficial do Estado. Em caso de descumprimento, a administração municipal terá que pagar multa de R$ 1 mil por dia de atraso.
Em nota enviada ao G1, a prefeitura de Arcoverde informa que está cumprindo as recomendações, não só advindas do Ministério Público. "Quanto à lista de contratados temporários, o documento está sendo examinado – dentro do prazo estabelecido – para que seja definido o número real de prestadores que ainda fazem parte da administração", diz a nota.
Os aprovados no concurso realizado em 2014 deverão ser nomeados até 30 de dezembro. O Termo não traz a quantidade de pessoas que deverão ser convocadas, diz apenas que os aprovados devem ser chamados de acordo com a necessidade do município. Os servidores com contratos temporários deverão ser afastados até 31 de dezembro.

O promotor de Justiça Walkis Pacheco Sobreira também recomendou o fim da prática de nepotismo cruzado, com a exoneração da sobrinha da prefeita Madalena dos Santos Britto e do filho do presidente da Câmara de Vereadores, Miguel Leite de Siqueiro. O documento afirma que a sobrinha da gestora tem o cargo de controladora geral do município e o filho do vereador ocupa cargo na Divisão de Projetos Especiais da prefeitura.


O documento diz ainda que a prefeitura deve abster-se de realizar contratações temporárias. O TAC recomenda o afastamento dos parentes em até terceiro grau de membros dos poderes Executivo e Legislativo de Arcoverde que ocupem cargos comissionados ou por contratação temporária.
Fonte G1
Tecnologia do Blogger.