Cobiçada tanto quanto a prefeitura, a presidência da câmara municipal de Buíque produz um fascínio tão grande quanto o poder

 Em Buíque no agreste do estado, a sede pelo poder vai além das eleições municipais, isso por que, passado o pleito eleitoral onde a população conhece os vencedores, prefeito e vereadores, dar-se início a outro tipo de disputa, a disputa  interna  para saber quem será o  principal nome agora entre os 15 a presidir  por dois anos seguintes a câmara municipal de vereadores do município.

Cobiçado tanto quanto a prefeitura, o poder legislativo produz um fascínio tão grande quanto o poder, o que faz os candidatos a presidência da casa já começarem  a  sondar  o apoio dos colegas pares a fim de conquistar a qual preço a maioria de votos necessários para se eleger e comandar a presidência mandando e desmandando no próximo biênio de 2017/2018.  

Como presidir a presidência da câmara de vereadores  de Buíque a cada eleição estar se transformando num negócio da china, os conchavos  e apoios políticos já começam a serem articulados, isso por que, mesmo tendo aumentado o numero de vagas que passa de 13 para 15 a partir do próximo dia 1º de Janeiro, essa quantidade   não irá inflacionar a folha de pagamentos da casa Jorge Domingos Ramos que  conta com apenas cinco funcionários efetivos e tem  um repasse da prefeitura  através  duodécimo  num valor que chega a casa dos 228 mil reais mensais, isso sem nem um desconto ou atraso.

Para uma câmara que nas ultimas duas  gestões  passou a faltar quase tudo e ainda tem gabinete de vereador sem nem um birô como é o caso do gabinete do vereador Peba da Ribeira que fica no andar superior, o desafio do próximo presidente  não será tão difícil como estava programado para ser,  se os atuais vereadores estivessem aprovado o aumento de salario que passaria de 8 para 10 mil isso por que o projeto que aumentava os salários  não foi votado no segundo turno e por lei perdeu o prazo de sua votação e não foi aprovado.

Mais parecendo um jogo de xadrez, até o momento  dos 15 vereadores eleitos, entre eles duas mulheres apenas cincos nomes apontam como prováveis candidatos a  segunda cadeira mais cobiçada do município, por que a primeira já tem seu dono pelos próximos quatros anos que é o prefeito eleito Arquimedes Guedes Valença.


Dos cinco apontados a disputarem a principal vaga, três já ocuparam o principal cargo que são; o veterano Dodo, o atual presidente Felinho da Serrinha , o antecessor André de Toinho, seguido por Daidosn  Amorim e a novata  Corina Galindo que ficou em primeiro lugar  sendo a mais votada nas ultimas eleições. 

Tecnologia do Blogger.