Indefesa e sem nada poder fazer, professora e assaltada na frente de sua casa em Buíque

Enquanto  alguns diretores da Secretaria Estadual de Segurança Publica do estado de Pernambuco  solta ofício circular   limitando os repasses das  informações a imprensa   sobre os índices de violências, incluindo crimes de homicídios, assaltos e outros delitos  ao entorno de Caruaru, conforme noticiou o ancora do  Jornal Nacional na edição da ultima segunda-feira (17).

A olho nu se constata   um aumento estarrecedor  da violência, principalmente  nas cidades do agreste e sertão   onde a população  a cada dia fica mais  assustada  tornando-se reféns  de elementos que se julgam impune diante da justiça por que tem quase a certeza de que nem uma medida será tomada contra si.

Em Buíque no agreste do estado  por exemplo, ruas e avenidas estão ficando praticamente vazias por que o medo e a insegurança cada vez mais frequente está batendo na porta dos cidadãos de bem que trabalham e pagam  em dias seus impostos  na esperança de ter acesso o que é de direito, a segurança publica.

Como se não bastasse  o medo da sair de casa, a cada amanhecer a população toma  conhecimento que em algum ponto da cidade alguém  entrou pra lista de um numero crescente de assaltos que está acontecendo na calada da noite.

E como a cada dia  os bandidos não escolhem mais suas vitimas, tanto faz ser homem ou mulher, na ultima segunda-feira , (17) por volta das 22 horas, uma professora  deficiente  teve seu aparelho de celular tomado de assalto de frente a sua residência   por um individuo armado com uma faca peixeira .

Indefesa , e sem nada poder fazer, a professora Vânia Martins  depois de ter sido assaltada postou em sua rede social a seguinte frase: “Sem Celular, mais com a Vida”, com essas palavras a profissional de educação demonstrou sua gratidão a Deus, assim como tantas outras vitimas por ter ficado viva para contar  sua historia.  



Tecnologia do Blogger.