Conhecendo Buíque e sua historia ás vésperas dos seus 163 anos de emancipação politica.

Considerada a capital do vale, Buíque no agreste do estado está prestes a completar seus 163 anos de emancipação politica na próxima sexta-feira 12 de Maio.

Bom clima, boa terra e boa  gente, são adjetivos  mais que justos lhe atribuídos devido a hospitalidade de seus moradores que além de acolhedores são solidários aos irmãos visitantes que muitas vesses  desembarcam na cidade sem muito a conhecer.

Conta a historia que: O município de Buíque começou a ser povoado em 1752, quando ficou conhecido como Campos de Buíque. O nome do local tem origem na linguagem Tupi e significa "Lugar de Cobras". Os naturais de Buíque têm outra versão para a origem do nome - os índios que habitavam essa região utilizavam uma trombeta cujo som produzido se assemelhava ao nome da cidade. Buíque foi elevado à categoria de vila em 1854, com a denominação de Vila Nova do Buíque, desmembrado de Garanhuns,  em 19 de Dezembro   de 1874, Buíque, foi elevada à categoria de sítio em 1899.

Politicamente Buíque  tem como prefeito  Arquimedes Gudes  Valença, 70 anos de idade  que voltou a comandar os destinos do município pelo quarto mandato  entre 2017 a 2020.
Como sua  população já ultrapassou  os 55 mil habitantes,  15 vereadores foram eleitos para representar  seus  munícipes  na Câmara Municipal  que tem como sua  atual  presidente   a vereadora Corina Galindo.
  O município de Buíque está nos domínios da Bacia Hidrográfica do Rio Ipanema  Os principais tributários são o rio Ipanema e o rio Cordeiro, e os riachos: do Cafundó, Mimoso, do Xicuru, do Brejo, Salgado, do Pilo, Catimbau, Ilha, do Mororó, Piranha, dos Negros, Queimadas, Cajazeiras, Mulungu, Umburaninha, do Jaburu, do Cágado, das Pedrinhas, Barra, do Pinto, Ipueiras, das Cabras, Caldeirão e dos Martins, todos intermitentes.


Tecnologia do Blogger.