Com as chuvas em Buíque, barragem do mulungu atinge seu limite máximo de armazenamento de água e passa a transbordar .

 Antes   que as chuvas chegassem , a vida dos agricultores e criadores de gados  do município de Buíque no agreste do estado  além de lutarem para não passarem sede, ainda tinha  outra preocupação maior, que era a de não deixar seus animais morrer   por falta de água que cada vez mais era uma realidade.

Se no campo a chuva não chegava, nos cercados apenas o chão cinzento  restava para abrigar  os animais que  esperava pela  água  muitas vesses transportadas em carros pipas sem dia, nem hora  marcada  para chegar.
Sem esperanças da chuva chegar, pequenos criadores se desfizeram dos seus rebanhos  porque tinha que decidir entre comprar a ração para seus animais, ou fazer sua feira e deixar os  mesmo morrer.

Como a quase uma década a chuva não chegava , a barragem do Mulungu, principal reservatório d’água do município  registrou a maior seca de sua historia  desde de quando foi construída  entre as décadas de 70 e 80.

Lembranças a parte,  com a chegada das chuvas, que dessa vez chegou pra valer, agricultores e criadores do município estão conseguindo respirar aliviados porque  o que antes era um deserto, hoje está transformado  numa colina de encher os olhos e chorar de felicidades.
Se antes  na barragem do Mulungu  só tinha pedras avista, depois das ultimas  chuvas  voltou a ser o que era antes, além de ter  atingido em 100% sua capacidade de armazenamento, para felicidade geral da população  voltou a transbordar .  

Fotos  cedidas por  leitores anônimos e PC Cavalcanti. 
       

  
Tecnologia do Blogger.