Pela segunda vez o poder executivo municipal intervém e evita que um dos patrimônios públicos de Buíque vá a leilão.

Recentemente  a população católica do município de Buíque no sertão do estado , assistiu mais um capitulo de uma novela  que teve inicio no mês de Março de 2015, quando  para tristeza de todos  tornou-se publico  que  o imóvel  onde reside as irmãs beneditinas , incluindo um terreno, a capela de   Nossa Senhora das Graças  seria alvo de uma  Penhora   com data marcada para ir a um  leilão nos dias seguintes , onde possivelmente  poderia ser arrematado  o mês seguinte .

Ciente do risco do município perder uma parte de sua historia, isso porque,  tanto a casa onde  residiu o  Monsenhor José Kerlhe , e a capela de Nossa Senhora das Graças , além de todo o terreno em sua volta poderia   ficar apenas nas lembranças  da cada um Buiquense, o prefeito da época , Jonas Camelo baixou o Decreto  Municipal de Desapropriação de Nº 05/2015, em seguida, através do ofício 050/2015 informando que o bem passou a ser patrimônio publico, portanto impenhorável.

Passados  um pouco mais de dois anos, quando tudo se dava a entende que o caso estaria resolvido , a mesma historia voltou a se repetir e mais uma vez  chegou  ao conhecimento de, Arquimedes Guedes Valença ,prefeito municipal , de  que, nesta terça-feira  dia 19, (hoje)  o mesmo imóvel   voltaria a ser leiloado  por causa de outra ação, sendo que  desta vez  na Vara Trabalhista em Pesqueira .

Ciente do valor que o imóvel representa, o atual  prefeito do município através de seu departamento jurídico  entrou com uma petição pedindo  que suste-se  a realização da praça designada , o que foi aceita pela  drª Rosa Melo Machado Rodrigues Faria- Juíza do trabalho  da comarca de Pesqueira.

Entendendo  agora o caso:
1º Ato:  em 2015 Justiça determina   que o imóvel onde estar localizadas a casa e capela nossa senhora das Graças seja leiloada  por motivos de empenho através de um empréstimo  realizado num instituição financeira.
Prefeito da época , Jonas Camelo, através de seu jurídico, representado  pelo advogado  Fábio Bezerra,   decreta  em patrimônio publico tornando impenhorável .


2º Ato: 2017,  Prefeito Atual, Arquimedes Guedes Valença através do seu departamento jurídico  entra  com uma petição pedindo a suspensão de mais um leilão do imóvel devido uma ação  trabalhista impetrada na comarca de Pesqueira.
Tecnologia do Blogger.