Município de Buíque no agreste do estado, intensifica o combate ao Aedes Aegypti e prioriza gestantes com doação de repelentes


Há alguns anos o Brasil vem sofrendo com surtos calamitosos de casos de Dengue, Zika, Chikungunya e agora os mais recentes casos de Febre Amarela. O que essas doenças tem em comum é o transmissor já comprovado o Aedes Aegypti. O famoso mosquito da “dengue” é menor que os mosquitos comuns, tendo a coloração preta com listras brancas em seu tronco, cabeça e pernas. Suas asas são translúcidas e o seu ruído é praticamente inaudível.

O mosquito sobrevive em torno de 30 dias, sendo a fêmea a espécie que precisa de sangue para o amadurecimento dos ovos que geralmente giram em torno de 150 e 200 depositados em locais de água limpa. Por esta razão, o combate deve ser constante e a Vigilância Sanitária organismo mantido através da Secretaria de Saúde trabalha incansavelmente indo de casa em casa fazer inspeções de armazenamento de água e entulhos para que a população cada vez mais se conscientize da importância de limpar seu próprio terreno a fim de que o combate seja algo além de saúde pública, que se transforme em conscientização social.

Para que nesse momento de combate a Febre Amarela em especial, a Secretaria disponibilizará toda a sua equipe de Agentes de Endemias para fazer o levantamento dos locais de foco. 

Pois, com a chegada das chuvas é provável acontecer um surto logo cesse as trovoadas e o apelo é para que as famílias cuidem de seus quintais e limpem garagens, vasos de plantas, garrafas, pneus ou qualquer tipo de lugar que a água fique parada. Inclusive pequenas poças formadas pelas próprias chuvas. 

Todo o cuidado deve ir além do trabalho da Vigilância de Edemias , é algo onde a própria população possa contribuir para que os índices alarmantes que um dia Buíque teve nunca mais voltem.

Para contribuir nos cuidados emergenciais das gestantes, já que a Zika é transmissora da Microcefalia e já que Pernambuco foi o Estado com as maiores gestantes acometidas com o problema, todo cuidado é pouco. Sendo assim, a Secretaria de Saúde realizou a compra de repelentes para doar as gestantes do município para que façam uso e afastem de si o máximo que puder o mosquito transmissor dessas graves doenças.

Com o esforço de todos é possível que Buíque nunca mais prevaleça em índices precários com essas doenças que mais acometeram o Estado de Pernambuco em anos passados. 

Agora é a vez da população ficar atenta e contribuir para uma saúde de qualidade no que depende muito mais do esforço das pessoas em geral. 

Fonte: Assessoria de Imprensa PMB

Tecnologia do Blogger.