New York Times faz editorial sobre a “Escolha Triste do Brasil “ por Bolsonaro.


O  Jornal   Americano  The  New York Times, um dos principais  veículos de comunicação do mundo , publicou  editorial neste domingo(21) em que considera a possível eleição  de  Jair Bolsonaro (PSL)  para Presidente  como “ uma escolha triste  para o Brasil”.
No texto escrito , pelo conselho editorial  da publicação, o NTY afirma que “ será   um dia   triste para a democracia quando a desordem e a decepção levam eleitores á distração  e abrem a porta para populistas ofensivos, rude, e  agressivos”

Para o jornal, Bolsonaro é um politico de direita  que tem pontos de vista repulsivos,  listando  declarações  do candidato  onde ele disse que “ preferia que um filho morresse a ser um homossexual; que a deputada  Maria do Rosário, sua colega  na câmara dos deputados , não merecia ser estuprada porque era  muito feia, que  quilombolas pesavam “sete arrobas”  e não faziam nada, além de seus questionamentos sobre  o aquecimento global .

A publicação diz ainda  que Bolsonaro  tem nostalgia pelos “generais  e torturadores” da ditadura militar Brasileira de( 1964 á 1985) abertamente defendida pelo candidato.
O editorial também traça uma panorama  do atual momento  politico e social do Brasil, citando a recessão econômica , a Operação  Lava Jato, a prisão do ex presidente Lula,   o impeachment  de Dilma Rossef, as denuncias contra Michel Temmer, além do altos índices de crimes violentos . “ Os Brasileiros estão desesperados por mudanças” diz o texto.

Com este pano de fundo, os pontos de vista  nojentos de Bolsonaro são interpretados como sinceridade, sua obscura  carreira como parlamentar , e como a promessa de um forasteiro que vai limpar  a corrupção, e a mesma que é vista como um punho de ferro  como esperança  de um alivio nos altos índices de violência" .

Para finalizar a matéria, New York Times  afirma que Bolsonaro já  foi  chamado de  Donald Trump Brasileiro , por  surfar    uma onda de descontentamento , frustração e desespero  , rumo ao cargo mais alto do país.   

Tecnologia do Blogger.