Com o plenário lotado,votação das contas do ex prefeito de Buíque mais uma vez é adiada por falta de coro


Chegado o momento tão  esperado,  e um plenário totalmente  lotado de um publico  que  se dispuseram a assistir  o desempenho dos  15 vereadores  do município de Buíque  que tem sobre seu poder o voto de aprovar ou rejeitar o parecer prévio do TCE  que rejeita as contas do ex prefeito Jonas Camelo de Almeida Neto resultado da 37ª Sessão Ordinária da Segunda Câmara realizada no ultimo dia 05 de Julho passado onde na sessão presidida pelo conselheiro Carlos Porto que, após uma auditoria nas contas do exercício de 2015  constatou um déficit de execução orçamentaria  da ordem de 6.813.922,96 (Seis Milhões, Oitocentos e Treze Mil, Novecentos e Vinte e Dois Reais e Noventa Centavos).

 Inicialmente com  a presença de oito, dos 15 parlamentares Buiquenses, Corina Galindo  oficialmente abriu a sessão  desta quinta-feira 22 de Novembro onde os presentes  aguardavam  o voto de  aprovação ou rejeição  das contas do ex prefeito.

Decretado a revelia  do ex prefeito  nos termos do art 334 do código  de processo civil , aplicado subsidiariamente  ao  processo administrativo, isso porque  o ex prefeito se recusou a receber as notificações  e não  fez sua defesa previa nem compareceu ao plenário para  dar suas justificativas , no ultimo dia 14.

Além do ato ter sido publicado no Diário Oficial dos Municípios e  copias fixadas nos murais da Câmara de Vereadores, Prefeitura e Fórum, programado para serem julgadas na reunião dos vereadores desta quinta-feira(22)  por falta das presenças  dos vereadores, Creusa Couto e André de Toinho que não compareceram, Leonardo de Gilberto, Jordão Briano, Ernani Neto e Dyego de Barão que estavam no prédio da câmara mais não  participaram da reunião, enquanto isso,apenas com Euclides, Dodo, Peba do Carneiro, Felinho da Serrinha, Luís Cristiano, Dão Tavares, Élson Francisco e Daidson Amorim, ambos presentes no plenário,além da Presidente Corina Galindo a votação das contas do ex prefeito que  deveria acontecer, por falta de coro simplesmente   não aconteceu.

Diante das circunstâncias, uma vez que a votação das prestações de conta do ex prefeito  continuam sem seres  aprovadas ou reprovadas pelos nobres vereadores Buiquenses, isso porque uma Lei lhes confere esse poder absoluto, a partir do momento que a presidente Corina Galindo pautou a matéria para essa quinta-feira(22)  a matéria fica pautada para as próximas reuniões seguintes  o que impedirá  de qualquer outro tipo de pauta, como Projetos de Leis, Orçamento  não poderão serem votados  até que se aprove ou reprove as contas do ex prefeito.
   

      

Tecnologia do Blogger.