Polêmica: Vereadores aprovam lei acabando com cargos de gari, pedreiro, coveiro e outros em Sertânia

Nesta terça-feira, dia 18, a Câmara de Vereadores de Sertânia votou a lei do prefeito Ângelo Ferreira, a lei apelidada de “Lei da Barbárie”, que cria cargos com salários aviltantes e acaba com os cargos de garis, de coveiros, de pedreiros, de auxiliar de enfermagem, de vigilantes e de tantos outros, que ganham pouco mais de um salário mínimo, e o placar não poderia ser outro, já que o prefeito tem maioria naquela casa.
Seus vereadores, não só votaram a favor dessa lei esdrúxula, como até defendem a lei da terceirização. O vereador Mundico disse que “está certo, hoje tudo está sendo terceirizado”. Outros seguiram o que mandou e determinou o “Rei Sol”.
Mas também como ser contra se cada vereador desse está defendo seu quinhão? Todos eles, sem voz ativa, são verdadeiros ventríloquos que falam o que o “coronel” manda, com isso sofre o povo, pois vai continuar a depender do assistencialismo e da política barata do coronel que apenas valoriza quem vota nele. É a lei da velha república em Sertânia.
O placar até que surpreendeu, pois tivemos, do lado da oposição, um voto de abstenção, que foi do vereador Vino Veras, que preferiu se neutralizar, e Damião Silva, que preferiu também, porque achou mais importante não ir a Câmara e não dar seu voto, ficar de fora dessa importante votação.
O momento é de extrema seriedade e esses parlamentares não sabem a dimensão de desse momento.  Lamentável. Quando o nosso eleitor aprender a votar também estes vereadores, tanto os que votaram a favor, quanto os que se anularam e não votaram,  talvez temam perder o mandato, mas enquanto o peso da decisão do voto for do “toma da do cá” vota-se de acordo com seus próprios interesses, ignorando a vontade popular.
De uma vez por todas é preciso que políticos que detêm mandatos se posicionem e nunca se coloque na neutralidade. Isso cheira a covardia. O povo precisa no momento de políticos corajosos que não se escondam por trás de suas próprias conveniências.
O lamentável nisso tudo é que os garis em Sertânia para vê-los atuando nas ruas,  só com indicação política e não mais por concurso.
Os vereadores Orestes Neves, Junhão Lins, Dóia, Vando do Caroá, foram enfáticos e votaram contra a Lei da Barbárie. A Câmara recebeu o protesto de alguns garis e de seus familiares, que não tiveram o apoio do SINTEMUSE, já que esta entidade deveria ter organizado um protesto, mas preferiu o silêncio de cumplicidade.
Então para aqueles que votam com consciência e não precisam se agarrar em cargos indicados pelo coronel, guardem os nomes dos vereadores que votaram a contra o direito do trabalhador e extinguiram os cargos de garis,coveiros, vigilantes e outros:
MUNDICO, TADEU, JOSÉ IVAN, FIAPO, MAGALY  E WASHINGTON PASSOS.
NÃO COMPARECEU A CÂMARA NESTE MOMENTO TÃO IMPORTANTE DAMIÃO SILVA E SE NEUTRALIZOU O VEREADOR VINO VERAS, SE ABSTENDO.
VOTARAM CONTRA A LEI DA BARBÁRIE: VANDO DO CAROÁ, JUNHÃO LINS, DOIA E  ORESTES NEVES.
Em Sertânia a “coisa” funciona assim, foi contra o coronel, está eliminado, não tem chance, pois a maioria teme seu poder e ficar contra ele, é ficar na marginalidade, diante de parte de uma sociedade que age como se tudo isso foi normal e que faz parte do jogo e subjugar os mais necessitados é apenas um detalhe, então massacremos aqueles que mais precisam, afinal estou numa boa, gozando das benesses de ser amigo do REI, o resto não me interessa.
Fonte: Tribuna do Moxotó
Tecnologia do Blogger.