Vereadores barram suspensão de contratos em Arcoverde

A Câmara de Vereadores de Arcoverde barrou ontem a intenção da prefeita Madalena Britto (PSB) de poder suspender os contratos dos profissionais de educação e demais contratados por conta da pandemia do novo coronavírus. Projeto de Lei enviado pelo Poder Executivo previa a “possibilidade de suspensão dos contratos por tempo determinado, bem como a redução de carga horária e vencimentos”.
A proposta, que tirou a possibilidade da prefeita suspender os contratos, foi feita pela presidente da Câmara Municipal, a vereadora Célia Almeida Galindo (PSB), que apresentou uma emenda modificando o artigo 1º da nova lei.
Com a aprovação da emenda, a redação do artigo foi alterada ficando que “os contratos temporários que dispõe a Lei Municipal 1951/2001, em razão da Pandemia atual causada pela Covid-19, não poderão ser suspensos, podendo ter a redução proporcional de carga horária e vencimentos”.
A redução dos vencimentos e horários de trabalho foram acordados entre a Prefeitura de Arcoverde e o Sindicato dos Servidores Municipais, com anuência do Ministério Público de Pernambuco. Para a vereadora Zirleide Monteiro, o acordo infelizmente foi mais uma imposição do que um desejo dos servidores contratados, pois muitos vão perder até 50% de seus salários.
Fonte: Folha das Cidades
Tecnologia do Blogger.