CPI barrada em Arcoverde vira escândalo

Arcoverde e região | Arcoverde FM - 104.9 | Página 33
O sumiço da presidente da Câmara de Vereadores da cidade de Arcoverde, Célia Galindo (PSB), e de mais quatro parlamentares da base da prefeita Madalena Brito (PSB), para impedir a instalação de uma CPI destinada a investigar corrupção na gestão da socialista, virou escândalo, o assunto mais comentado pela população. Além de tirar a tropa do PSB do plenário, Célia anulou no dia seguinte o ato da criação da CPI pelo vice-presidente da Câmara.
As vereadoras Cybele Roa, do Avante, e Zirleide Monteiro (foto), do PTB, esta autora da proposição, condenaram a postura de Célia no programa Frente a Frente, que em Arcoverde é retransmitido pela Itapuama FM. 
Em rede com mais de 40 emissoras pela Rede Nordeste de Rádio, o programa tem como cabeça de rede a Hits 103,1 FM, no Grande Recife. 
Enquanto nas redes sociais a decisão tomada que anulou a criação da CPI era o assunto mais comentado , do outro lado a direção do Partido dos Trabalhadores emitiu a seguinte nota de repúdio.
O Partido dos Trabalhadores de Arcoverde manifesta total repúdio ao ocorrido no último dia 10 de agosto na Câmara Municipal de Vereadores.
Uma denúncia sobre desvios de recursos financeiros da Secretaria de Assistência Social, no ano de 2019, estava para ser apurada através de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que precisava ser aprovada na Câmara de Vereadores.
Mas, devido a uma manobra dos vereadores governistas, a abertura da CPI não foi viabilizada. Os vereadores bancados pelo governo municipal deixaram de ir trabalhar para não votarem a referida CPI.
Sendo assim, fazemos algumas perguntas: Por que a Prefeita Madalena tem medo de uma CPI? Qual envolvimento dos vereadores que não cumpriram com sua função constitucional em não fiscalizar um ato da prefeitura?
Arcoverde não merece representantes que não cumprem seu papel constitucional.
Executiva do PT Arcoverde
Fonte Blog do Magno
Tecnologia do Blogger.