Durante reunião com professores, secretaria de educação de Buíque pontua que direitos dos servidores não se tira .

Em Buíque, no agreste do estado após um ato pacifico e ordeiro promovido pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipais, o SISMUB que aconteceu nesta manha de segunda-feira 21 de Dezembro em frente ao prédio da camará municipal , acompanhado de alguns professores Michel Modesto, presidente do Sismub se dirigiram até a sede da Secretaria Municipal de Educação, onde foram recebidos pela secretaria Marilan Belisário onde deram iniçio um debate cheio de perguntas e respostas referente a aplicação das leis que tratam do pagamento do 13º salario dos servidores públicos municipais.

Pontuando sua preocupação que teve inicio no ano  passado com o envio de um oficio as respectivas secretarias  solicitando que fizesse uma redução nas gratificações e alguns contratos já prevendo as dificuldades que poderiam surgir mais a frente devido a  situação causada pela pandemia do Covid-19.

Ressaltando o pagamento na integra do 13º salario a outros setores e apenas  50%  aos professores, o presidente do Sismub solicitou entre outras medidas a serem tomadas  que fosse elaborado um calendário de pagamentos  dos servidores para que a classe possa se programar e manter em dias seus compromissos.

Dando inicio a sua fala, Marilan começou o debate  pontuando que nunca deixou de receber os representantes da classe, ate mesmo porque ela como professora faz parte, e continuou ressaltando a importância do encontro com o grupo que foi até a secretaria representando os 360 professores, inclusive ela.

Como tudo tem um começo, Marilan ressaltou que vale apenas relembrar que em outra  reunião que teve com a classe no plenário da câmara municipal quando aconteceu a aprovação do PCC  deixou muito bem claro que ate 2022 a classe ia sofrer muito porque já se tinha uma previsão que os recursos seriam diminuídos, mas que não esperava que fosse antes como aconteceu por causa da pandemia.

Pontuando que a classe teve duas vitorias, a primeira o aumento dos professores e a segunda a contemplação de insalubridade benefícios adquiridos em plena pandemia.

Ao se pronunciar sobre os direitos dos professores, Marilan fez a seguinte observação, ” Direito de funcionário não se tira, mesmo que tenha que pagar um preço alto mais na frente, mais que tem a consciência que não tirou os direitos do professor”.

Num tom de desabafo, Marilan  se referiu as criticas recebidas  devido aos cargos comissionados,  pontuou que os valores pagos não são oriundos dos recursos do Fundeb, e sim pagos com os recursos próprios do município.

Frisando que o município teve vitorias na educação, isso porque Buíque  mostrou que tem os melhores professores, isso porque em plena pandemia demostraram suas capacidade de superar limites, e por fim, garantiu que dentro das possibilidades até o ultimo dia do ano, todos os pagamentos serão creditados nas contas de todos  servidores da educação do município.

 

Tecnologia do Blogger.