Completamente fora da realidade econômica do país, mesa diretora da Câmara de vereadores de Saloá apresenta projeto em caráter de urgência para aumentar salários do prefeito, vice e secretários municipais.

Em plena pandemia do coronavírus, que está matando, afetando a economia e aumentando a pobreza, os vereadores de Saloá, município de pouco mais de 15 mil habitantes, a 31 km de Garanhuns, resolveram aumentar os salários do prefeito, vice-prefeito e secretários.

A Mesa Diretora da Câmara apresentou projeto, em caráter de urgência, reajustando salário dos que fazem parte do Poder Executivo.

Pela proposta, que ainda vai ser votada e está gerando reações negativas na cidade, o prefeito passa a receber por mês R$ 21 mil, o vice R$ 10.500 e cada secretário passa embolsar seis mil reais a cada 30 dias.

Atualmente o prefeito ganha R$ 18, o vice 9 e os secretários 5 mil. 

Wellington Freitas, ex-vereador do município e blogueiro, acha um absurdo a medida e desconfia que a proposta é inconstitucional. No seu entender o reajuste teria de ser aprovado na legislatura anterior.

Outro blogueiro da cidade, Ivan Morais, foi o primeiro a noticiar a proposta de aumento, que segundo ele está deixando muitos moradores de Saloá indignados.

Os saloaenses informaram que o ano passado, quando veio a pandemia, os salários do prefeito, vice e de todos os funcionários foram reduzidos. Alguns servidores ficaram recebendo apenas 600 reais por mês, quando o mínimo já estava acima de mil.

Por conta da situação econômica que se agravou, a gestão anterior do município aumentou o desconto previdenciário dos funcionários, que passou de 11 para 14%.

Para quem mora em Saloá e vive em dificuldades, o aumento proposto pela Mesa Diretora é um acinte à situação que o Brasil todo está vivendo. Eles têm razão. Como diria o jornalista Boris Casoy: isto é uma vergonha!

É até um desrespeito às famílias das pessoas que foram vítimas da Covid no município.

 







Tecnologia do Blogger.