Mal entendido leva presidente da Associação dos Transportes Alternativos a esclarecer denuncias de descumprimento de regras no transporte de passageiros Buíque a Arcoverde

Com a sensação de estarem cumprindo seu papel  que e, de transportar passageiros que procuram o transporte alternativos da linha Buíque/Arcoverde atendendo todas as normas impostas pelas autoridades sanitárias dos dois municípios, motoristas de vans credenciados pela  Associação dos Transportes Alternativos  se reuniram com representantes do Comitê de Emfretamento do Covid-19  para esclarecer algumas duvidas e maus entendidos ao respeito dos serviços prestados pelos profissionais de transportes públicos de passageiros Buíque a Arcoverde.

Preocupados com a imagem dos condutores de vans, ao tomar conhecimento das denuncias  equivocadas feitas envolvendo os profissionais , em nome de todos os motoristas que transportam passageiros  de Buíque para Arcoverde, o motorista, proprietário de van e presidente da ATAAG Jean faz questão de fazer as seguintes pontuações:

Segundo Jean,  desde do início da pandemia  e de quando o primeiro Decreto com normas restritivas foi publicado, ao contrario de alguns motoristas que  não são credenciados e não fazem parte da lista de associados da instituição e ainda insistem  em continuar transportando passageiros de forma  clandestina, os motoristas credenciados continuam obedecendo as normas de restrição com a capacidade mínima de passageiros, medindo a  temperatura dos passageiros,exigindo o uso de mascaras durante todo trajeto  oferecendo álcool e gel.

Como o trecho Buíque a Arcoverde  é trajeto de outras linhas, como por exemplo as que transportam passageiros de Arcoverde  para Águas Belas, Tupanatinga, Itaíba, Negras e Manari,os motoristas que transportam passageiros de Buíque a Arcoverde não podem ser penalizados pelo não cumprimento das normas de terceiros, uma vez que é  o passageiro tem livre escolha de embarcar no transporte que quiser.  

 

        

   

Tecnologia do Blogger.