Arcoverde: Passado o tumultuado episódio da votação que conduziu Siqueirinha a reeleição, Luciano Pacheco coloca em duvida resultados

Passado o tumultuado  episódio da votação que conduziu Siqueirinha a  ficar dois anos a mais a frente da mesa diretora da Câmara Municipal de Vereadores de Arcoverde na condição de presidente da casa, usando suas redes sociais, o vereador e ex presidente daquele Poder Legislativo, Luciano Pacheco, usou suas redes sociais  para colocar em duvida a validade do resultado  que aconteceu sem obedecer o regimento interno.

Considerando um ato atentatório a Democracia, que, segundo o parlamentar foi uma eleição que não obedeceu a maioria absoluta que se exige para qualquer votação, isso porque,  sem o quórum de no  mínimo,  6 vereadores, nada poderia ser votado.

Dirigindo-se a população Arcoverdense, o parlamentar justificou a  sua saída  e de outros  vereadores do plenário  ressaltando que, Siqueirinha agiu contra o regimento fazendo uma eleição, onde naquele momento não era de eleição, e sim de se preocupar com as causas do município que vive momentos críticos por causa da pandemia, e conturbados na política depois dos últimos acontecimentos no Poder executivo.

Indo mais além, Luciano Pacheco acusou Siquerinha de querer empurrar goela a baixo uma votação que no seu entender, e  baseado no regimento interno da Casa James Pacheco  não tem fundamentos legais porque ao apresentar um requerimento com pretensão de se reeleger, desconsiderou o voto da presidente  Luiza Margarida, quando em exercício na sessão. 

 

Tecnologia do Blogger.